Catalisador: O que é e para que serve


Formado por uma carcaça metálica e um corpo cerâmico revestido de materiais nobres, a peça tem  preço elevado. Entenda por que isso ocorre.

O catalisador é um dispositivo que compõe o sistema de exaustão dos veículos modernos, cuja função é transformar através de reação química, os gases nocivos em não nocivos.

Construção
• É formado por uma carcaça metálica
• Suporte Cerâmico: Substrato cerâmico poroso revestido de Óxido de Alumínio e com metais catalíticos ativos (Platina, paládio, cério e ródio).
• Cério: Possui a propriedade de armazenar o excesso de O² (oxigênio) produzido pela combustão de mistura pobre e liberá-lo quando a combustão encontra-se rica.
• Manta Expansiva: Função: Vedação, isolante térmico, fixação e proteção mecânica (vibrações e pancadas).

Característica
O catalisador usado atualmente é o de três vias e possui a característica denominada de ‘capacidade de armazenamento de oxigênio’ que é utilizada para a conversão do HC (Hidrocarboneto) em CO² (gás carbônico) e H²O (água)
O catalisador não modifica o valor lambda da mistura admitida

Funcionamento
Na reação química dos gases poluentes de entrada no catalisador tais como: monóxido de carbono (CO), hidrocarbonetos/combustível não queimado (HC) e óxidos nitrosos (N²O) são transformados em substâncias inofensivas, como o dióxido de carbono/gás carbônico (CO²), nitrogênio (N) e vapor d’água.
A temperatura ideal de trabalho do catalisador é por volta de 300°C, onde nesta condição é atingida a marca de 100% de eficiência catalítica (transformação).
Abaixo desta temperatura o catalisador funciona com uma porcentagem menor de eficiência. (Quanto menor a temperatura do catalisador, menor sua eficiência).

Dicas
Em sistemas OBDII é possível visualizar o seguinte:
• Sinais equivalentes de O2 (oxigênio) na entrada e saída do catalisador demonstram uma perda de eficiência do próprio catalisador
• O catalisador funciona como um filtro das oscilações de O2 resultando em um sinal de saída mais estável
• Sinal posterior variando bastante indica catalisador ineficiente
• Sinal pré-catalisador: Quando a mistura é mantida rica ou pobre por um tempo maior que o normal, o sinal diminuía a freqüência de oscilações
• Diagnóstico OBDII: Eficiência abaixo de 65% com veículo rodando entre 50 e 80 Km/h o catalisador é considerado defeituoso
Os códigos OBD II genéricos que identificam catalisador com eficiência abaixo do limite são:
- P0420/P0430: para o sistema catalítico como um todo ou para um único catalisador convencional (banco #1/banco #2);
- P0421/P0431: para o catalisador de aquecimento; normalmente instalado antes do catalisador principal (banco #1/banco #2);
- P0422/P0432: para o catalisador principal (banco #1/banco #2);
- P0423/P0433 para o catalisador aquecido (banco #1/banco #2).

Sinal de saída
(Sonda pós catalisador):
Sinal > 450mv = admissão de mistura rica
Sinal < 450mv = admissão de mistura pobre

A oxidação de CO, e do HC que se transformam em CO2 e H2O
Redução de NOx que transformam-se em O2 e N2

Observações
Um mínimo conteúdo de oxigênio indica uma boa eficiência catalítica;
O catalisador mostra-se mais eficiente quando o fator lambda é igual a 1,0;
O catalisador é responsável por reduzir em mais de 90% os gases nocivos lançados no meio ambiente. Quando em bom estado, produz uma eficiência entre 90 a 95%;
O catalisador passou a ser produzido em série no Brasil a partir de 1992;
A vida útil do catalisador fica em torno dos 80.000 km (equivalente a cinco anos de uso), porém com os devidos cuidados e manutenções preventivas do veículo, pode chegar até ao dobro de quilometragem. (Já testei veículos com 285.000 km e o catalisador estava a pleno funcionamento).

Testes
Vazão:
Manômetro especial conectado no lugar da sonda lambda. Possui as indicações azul, verde e vermelho
- Com o motor a 2.000 rpm o ponteiro deve permanecer entre azul ou verde. Quando no vermelho, demonstra que o catalisador está com a vazão comprometida;

Quando a vazão não tem resistência, pode indicar um catalisador sem a cerâmica (fazer inspeção visual)

Temperatura de entrada e de saída
Aumento de no mínimo 10° de temperatura

Capacidade de conversão de HC em CO2
Teste de CO2 durante a partida:
Com o catalisador já aquecido, verifique o aumento de CO2 no escape, com o sistema de ignição desabilitado e dando partida por 10 segundos (superior a 12%).
Se a conversão de HC encontra-se dentro das normas, pressupõe que a conversão de CO e NOx também é.

Itens que prejudicam o funcionamento e a vida útil do catalisador
• Aplicação errada de catalisador (Existe um catalisador adequado para cada tipo de motor).
• Combustível de má qualidade ou adulterado
• Corrosão na carcaça
• Excesso de combustível na mistura
• Excesso de consumo de óleo do motor
• Falhas de ignição
• Junta do catalisador vazando
• Lubrificantes inadequados, sujos ou vencidos
• Manutenção inadequada (Soldas ou cortes na carcaça)
• Motor com dificuldade para pegar
• Motor desregulado
• Pancadas no corpo metálico do catalisador

Dica para Inspeção Veicular

Instalar um catalisador de maior capacidade do que a original, aumenta a eficiência da conversão catalítica.

Ex.: Instalar um catalisador projetado para um motor 1.6 litros em um carro com o motor de 1.0 litro, por ter uma área maior,  aumenta a eficiência da transformação de gás nocivo em gás não nocivo.

Amauri Gimenes

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s